30 agosto 2016

"sujeitos a morte
porque vivemos
a onda bate forte
quando entendemos
fique alerta
mantenha a mente aberta
atinja suas metas
devaneios 'tortos'
é a sacada certa
se moscar
jogam você
num buraco...
'faça assim'
'consuma o fato'
abutres por abutres
vidas continuam em hiatos
movimento ideias e vontades
a vida é curta
isso é verdade
olhos de lince
sugadores por toda parte
eles não querem o sangue
querem minha arte

encontrei o que incendeia
sei que o que mata não é a aranha, é a teia
ouça o recado singelo que lhe rodeia
faça o seu, não jogue areia
respeite a verdade alheia

no que acredita...
aposte
na duvida...
aponte
odiar quem?
ame-se
pergunta tem?
questione-se
no sonho...
deite-se
não quer?
foda-se
é prazer?
foda-me

visceras em verbos
caminhos incertos
me mantendo intacto e submerso
quem amo levo bem perto...


e foda-se seu dialeto."

Nenhum comentário:

Postar um comentário